Revista Brasileira de Agrometeorologia, v. 16, n. 01 (2008)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

Impactos no albedo em conseqüência do avanço da fronteira agrícola, na Amazônia

Paulo Jorge de Oliveira Ponte de Souza, Edson José Paulino da Rocha, Aristides Ribeiro, Renata Silva Loureiro, Carlos José Capela Bispo

Resumo


Resumo: O avanço contínuo da fronteira agrícola, na Amazônia, tem deixado a comunidade cientifica cada vez mais preocupada ante os possíveis impactos ambientais decorrentes dessa mudança no uso da terra. Neste trabalho, foram avaliados os impactos no albedo da superfície devidos à substituição da floresta pelo cultivo da soja (Glycine Max (L.) Merryl), em uma área de avanço da fronteira agrícola, na Amazônia. O monocultivo da soja, na Amazônia, ocasiona uma mudança brusca na interação entre a radiação e a superfície, tendo como conseqüência uma redução na energia disponível para o ambiente, devido ao aumento na reflexão da superfície. A mudança na cobertura original da Amazônia para o plantio de soja gera um aumento entre 53% e 117% no albedo da superfície, dependendo da fase fenológica da cultura. O uso do solo para fins de produção da soja, na Amazônia, causa um aumento médio de 93% na fração de radiação refletida durante um período médio de 125 dias.


Texto Completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Agrometeorologia - RBAGRO

ISSN Eletrônico - 2175-7666